Retrospectiva 2015

As capas mais representativas e/ou importantes para o movimento feminista

Zigzag Black

Por tinhaquesermulher

Este foi o ano do feminismo na internet. Também foi o ano do feminismo fora dela. Foi o ano em que a força das mulheres saiu do virtual, ganhou as ruas e chegou na capa da revista. Sim, o feminismo pautou a grande mídia, ganhou espaço, relevância e alguns aliados. Se fez tão relevante que foi impossível ignorar e até aqueles que, historicamente, são contra ele se abriram para escutar. A mídia, principalmente a feminina, começou a ver suas fórmulas prontas caírem e não tiveram outra opção, a não ser escutar e começar a mudar. Aqui, mostramos as capas e matérias que foram representativas e ajudaram o movimento feminista de alguma forma em 2015.
melhores-capas-de-2015

facebooktwittergoogle_pluspinterestmail


Deixe uma resposta